The Last Guardian - a amizade e perseverança que valem a pena

 




Caso você tenha tido a oportunidade de jogar Shadow of the Colossus e principalmente seu companheiro ICO, sem dúvidas, foi o primeiro a chorar quando finalmente teríamos o sucessor espiritual The Last Guardian

Depois de muitos anos, ele apareceu durante a E3 2015, logo na abertura da conferência da Sony com um gameplay fantástico de 6 minutos de duração:

Com características mais parecidas à ICO do que Shadow of the Colossus, vemos novamente um garotinho perdido em ruínas misteriosas, só que agora em um gráfico de brilhar os olhos. Outra similaridade é o seu novo companheiro que substituiu a garotinha por uma fera gigantesca.

The Last Guardian - a amizade e perseverança que valem a pena

Onde estou?

Ambientado em um mundo misterioso e mágico, onde vivem animais híbridos gigantes, a temática de The Last Guardian é idêntica à de ICO. Toda a história é narrada pelo protagonista que nos conta sua aventura quando criança. 

O garotinho foi sequestrado por motivos não explicados e levado para um grande castelo em ruínas. Quando acorda, ele se vê com tatuagens pelo corpo e ao lado de uma fera gigante.

Veja o primeiro encontro dos dois, apresentado pela própria Sony antes do lançamento:

A criatura, que nos faz alusão aos gigantes de “Shadow of the Colossus”, é uma mistura de cão, pássaro e grifo. A criatura foi apriosionada e por isso, nomeada de “Trico” pelo garotinho, uma tradução em japonês de “Prisioneiro” (Toriko). 

Percebemos que as asas da criatura foram cortadas e ele está com uma máscara quebrada no rosto. Além disso, Trico está ferido com uma lança fincada em seu corpo e não permite que o garoto se aproxime.

Visto em uma situação sem saída, o garoto resolve então salvar a criatura, dando início a uma grande amizade entre humano e fera. A partir daí, juntos terão que encontrar uma forma de fugir do castelo e voltar para o vilarejo onde vivia o garoto. Já a criatura tenta voltar ao seu habitat natural, mas não consegue devido às asas curtas. 

The Last Guardian - a amizade e perseverança que valem a pena

A união faz a força

No início, Trico se comporta de forma hostil com o garoto, mas à medida que for alimentando-o e interagindo com a criatura, ele se torna mais dócil e começa a aceitar os comandos do protagonista. 

É nessa amizade que se concentra o gameplay de The Last Guardian. Em toda a trama, um precisa do outro para prosseguir nesse castelo quase que infinito. Enquanto o garotinho passa por passagens menores e abre passagens para Trico, a criatura ajuda o garoto a subir em lugares mais altos e enfrentar os inimigos. 

Além de inimigos, outro grande desafio são os olhos espalhados por todo o castelo, uma vidraça em forma de olho que assusta Trico, deixando-o imóvel. O jogador precisará primeiro se livrar desses olhos para continuar a aventura.

Quanto mais tempo passarem juntos, maior será a amizade entre eles, com momentos em que a criatura não deixa de seguir o garoto por um instante. 

The Last Guardian - a amizade e perseverança que valem a pena

Deixe a câmera para a ação!

Uma das grandes críticas de The Last Guardian é que a câmera do jogo se move automaticamente em alguns momentos. No entanto, essa ideia veio do seu antecessor ICO.

O objetivo é fazer com que o jogador não perca nenhum momento importante. A câmera permanece em um ponto fixo em cada área, mas segue o garoto e Trico quando se movem.

Apesar de o jogador poder mover a câmera em outras direções para observar melhor o ambiente, é altamente aconselhável, deixá-la livre nos momentos de ação. 

Quando quiser controlar a câmera, para melhorar o controle, uma dica é ir até às opções do jogo e aumentar a velocidade.

Outro problema para jogadores que estão acostumados com os jogos atuais é que os movimentos do garoto são manuais e é fácil vê-lo executando movimentos esquisitos. Entretanto, essa é outra característica de ICO. A ideia é que o jogador sinta mais controle do personagem, por isso é preciso calcular bem, antes de saltar de uma plataforma para outra.

Puzzles, plataformas e correria

Em toda a jornada de The Last Guardian, você terá que lidar com os quebra-cabeças geniais do game. Sério, prepare-se para ficar presos por horas em uma área. O jogo foi feito de um modo que esconde na sua cara, o segredo para resolver um simples puzzle. Você vai olhar para a solução e dizer: “Mas eu olhei aqui antes!”.

O mais interessante nos puzzles é que eles nunca se repetem. Sempre há um desafio diferente a cada área, o que nos deixa na curiosidade do que encontrar pela frente. Dê adeus à vida social, pois o game é muito viciante.

The Last Guardian - a amizade e perseverança que valem a pena

Ainda outro desafio interessante são as plataformas. É fácil se confundir com o que é e o que não é uma plataforma. Muitas delas requer equilíbrio e habilidade.

Por fim, nem pense em enfrentar os inimigos. A saída agora é correr e nada mais justo, já que somos uma criança indefesa. O melhor é deixar a diversão para o seu melhor amigo!

Uma verdadeira obra de arte!

Como descrever os gráficos de The Last Guardian? Simplesmente deslumbrantes! Apesar de ter sido construído inicialmente para o Playstation 3 e portado para o Playstation 4, os efeitos de luz e ambientação são belíssimos. 

O principal atrativo nos gráficos são as animações de vegetação e os efeitos de plumagem em Trico que levam o PS4 ao seu limite. O nível de detalhe também é impressionante. Cada pena que cai da fera e os minúsculos insetos voadores como as borboletas, são de encher os olhos!

The Last Guardian - a amizade e perseverança que valem a pena

O único ponto um tanto diferente nos gráficos é o visual do garotinho que tem um aspecto brilhante e estilo de desenho animado que parece não combinar com o cenário realista do game.  

Mas que criatura dócil

Não poderia de deixar de dar um destaque especial para o Trico, a combinação mais perfeita de mistura de espécies que se poderia inventar. No jogo, conseguimos sentir pena e afeição pela criatura como a que sentimos ao cuidar de um animal de estimação. Nem queira ver seu amigo em perigo!

Vale a pena!

Mesmo com seus problemas de movimentação e câmera, The Last Guardian é um jogo que, sem dúvidas alguma, vale muito a pena! Não só para os que jogaram os antecessores espirituais, como para os novos na aventura. 

Vale a pena pela bela amizade entre os protagonistas, pelos aspectos visuais, pela história misteriosa e os puzzles geniais.


Avaliação:

Efeitos Sonoros: 5.0 5.0
Jogabilidade: 3.0 3.0
História: 5.0 5.0
Grafico: 5.0 5.0
Avaliação geral: 4.5 4.5

Por: Geovanne Medeiros em 04-Jan-2017




LANÇAMENTOS



REDES SOCIAIS