Pale Moon Crisis e o que todo mundo entendeu errado

 




"Sara e seu parceiro Bruno trabalham para uma empresa de limpeza. Eles pegaram um trabalho que os levou para longe, nas montanhas. O objetivo era apenas exterminar alguns “parasitas” mas o que estava a espreita na mansão eram monstros, e parecia haver mais segredos escondidos na escuridão. Contudo, o que importava mesmo era sair de lá vivo."

Essa é a breve descrição que a Steam dá sobre Pale Moon Crisis, uma adaptação de Mansion, um game hentai em 2D, classificado para maiores de 18 anos e desenvolvido pela Alibi em 2016, porém evoluído, redesenhado e... isso mesmo, censurado. 

Mas não desanima (a protagonista ainda usa pouca roupa), pelo preço cobrado pela steam ao liberar o game, quem sabe não vale a pena dar uma olhada e conferir se o que a gente tá dizendo é verdade ou não, né?

Pale Moon Crisis e o que todo mundo entendeu errado

Se tá interessado em história, talvez Pale Moon Crisis não seja o jogo pra você, mas se você veio aqui porque já conhecia Mansion e quer saber o que a Steam aproveitou dele após o ter GreenLit, a gente pode trabalhar com isso.

 

História (???)

Basicamente, o jogo começa da mesma forma que Mansion começou, com um pequeno diálogo de Sara com Bruno, e sobre isso: é mais ou menos o máximo que a gente vai saber sobre a história e os personagens, o roteiro do game propriamente dito, se desenvolve (pelo menos na adaptação da Steam) através de pequenos quebra-cabeças guiados por notas que encontramos espalhadas pela casa, o que garante alguns minutos de desenvolvimento enquanto nos deparamos com alguns dos monstros citados na sinopse.

 Pale Moon Crisis e o que todo mundo entendeu errado

(Porque algumas pessoas tão chamando PMC de um wannabe Resident Evil em 2D Graphics? Eu realmente não sei [Mas vida que segue])

 

Produção

Os efeitos sonoros são o.k. pra ser honesto, eles não têm um fade in and out trabalhado de acordo com o desenvolvimento, mas se preocupam em como a música de encaixa com a estética da cena, trocando sempre que alguma mudança significante no jogo acontece. Os complementos pingados de suporte, como o andar, atirar, e a dublagem (que só tem em japonês) são básicas e cobrem a necessidade imediata de ver e ouvir algo, não decentemente, mas algo.

 Pale Moon Crisis e o que todo mundo entendeu errado

Os requisitos de apresentação do game incluem uma placa de vídeo com uma resolução de no mínimo 1024x576 e isso é um pedido modesto, se a gente levar em conta que o jogo não abre em full screen, o que é bem triste. 

 

Jogabilidade

Outro ponto negativo de PMC é com certeza os seus controles. Por não ter suporte para o uso do mouse, o jogador tem que guiar a protagonista com direções estranhíssimas pelo teclado, o que não deveria ser difícil, se não fosse a má aplicação dos comandos e alguns bugs em algumas ações, não se desesperem tentando abrir portas ou caixas, uma hora ou outra dá certo.

Pale Moon Crisis e o que todo mundo entendeu erradoPale Moon Crisis e o que todo mundo entendeu errado

Esse porém dos comandos também atrapalha muito quando vemos o itens, que ao interagir com algo no jogo pode coincidir com o inventário e acabar por usar algum item por engano já que os controles pra isso são os mesmos.

Pale Moon Crisis e o que todo mundo entendeu errado

 

Se Pale Moon Crisis parece ter mais defeitos do que qualidades?  

Olha, não é bem assim. Se a gente levar em conta a versão original, temos o mesmo tanto de prós e contras, e a adaptação da Steam já percorreu um longo caminho transformando uma demonstração hentai - o que basicamente define Mansion - com exposição gráfica de estupro e um desenvolvimento tão simples que se poderia ser finalizado em um run-through de 20 ou 30 minutos no máximo, em um game com quebra-cabeças e pop-up monsters que o transformaram em um jogo que, apesar dos problemas, diverte e distrai por umas boas 2 horas.

Quem critica PMC por não ter desenvolvimento de roteiro (verdade) e/ou não instigar o jogador a se conectar com a produção (mais ou menos verdade), não leva em conta que Pale Moon Crisis nunca teve a intenção de ser isso, como um jogador em um comentário disse: "We are simple men, dude, we see boobs we'll click first and explain later" ("Nós somos homens simples, cara, a gente vê peito, a gente clica primeiro e explica depois") É uma explicação bem sem gracinha mas é a verdade, Mansion se destacou por isso, e Pale Moon tá tentando fugir disso, e agradou muita gente pela riqueza que a adaptação agregou. Então se tu quer saber se o jogo vale o que a Steam cobra por ele? Ô se vale! 

Pale Moon Crisis e o que todo mundo entendeu errado

Se deu vontade de saber como é Pale Moon Crisis em primeira mão, clica aqui e dá uma conferida na página da Steam sobre o game. Ele custa R$10,49 na plataforma e está disponível pra download desde 30 de Janeiro desse ano.

(E se quiser ver em ação e comparar antes de jogar, tem esse gameplay aqui que mostra bem a versão da steam (e que é de onde tiramos as imagens, ou se quiser ver como era a versão original do game, Mansion, tem esse também, mas avisando que a versão original não é recomendada para menores de 18 anos.)


Avaliação:

Efeitos Sonoros: 3.5 3.5
Jogabilidade: 3.5 3.5
História: 1.0 1.0
Grafico: 2.5 2.5
Avaliação geral: 3.0 3.0

Por: Matheus Pacheco em 09-Fev-2017




LANÇAMENTOS



REDES SOCIAIS